was successfully added to your cart.

Inteligência britânica investiga atentado à bomba em Manchester

By 23 de maio de 2017Uncategorized

Um ataque suicida causado pela explosão de uma bomba deixou 22 pessoas mortas e 59 feridas em Manchester, no Reino Unido. O ataque ocorreu durante um show da cantora americana Ariana Grande, realizado na Manchester Arena, no qual estava presente um grande número de crianças e jovens. O atentado repercutiu mundialmente e foi comentado por Chefes de Estado e Governo, mídia jornalística e personalidades de diversas áreas, como do esporte e da gastronomia.

 

image x67870777_President-Donald-Trump-delivers-a-statement-following-his-meeting-with-Palestinian-presiden.jpg.pagespeed.ic._cFwa20vuo

 

 

A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, afirmou que “todos os atos de terrorismo são covardes. Mas esse ataque se destaca por sua terrível covardia doentia, visando deliberadamente crianças e jovens inocentes e indefesos que deveriam estar desfrutando uma das noites mais memoráveis de suas vidas”. Por sua vez, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que realiza visita à Cisjordânia, no Oriente Médio, afirmou em declaração à imprensa que “os terroristas e extremistas e aqueles que os dão ajuda e refúgio devem ser expulsos de nossa sociedade para sempre. Esta ideologia maligna deve ser aniquilada, e quero dizer totalmente aniquilada, e a vida inocente deve ser protegida. Não os chamarei de monstros porque eles iriam gostar deste termo. Vou chama-los de perdedores”. Trump, em discurso proferido na capital da Arábia Saudita, Riad, no último fim de semana, conclamou aos líderes de países muçulmanos que fizessem esforços para eliminar atos extremistas e que “todas as nações civilizadas devem se unir para proteger a vida humana e o direito sagrado de nossos cidadãos de viver com segurança e paz”.

 

170522193022-06-manchester-arena-0522-exlarge-169 170522192203-04-manchester-arena-0533---restricted-exlarge-169

 

Segundo o chefe da polícia de Manchester, Ian Hopkins, o responsável pelo ataque foi Salman Abedi, de 22 anos. Hopkins afirmou a repórteres que a prioridade da inteligência britânica, no momento, é “continuar a estabelecer se ele estava agindo sozinho ou trabalho como parte de uma rede mais ampla”. O Estado Islâmico, grupo radical que foi autor de atentados em diversos locais durante os últimos meses, assumiu a autoridade do atentado, o que não foi comprovado pelas autoridades de investigação do Reino Unido. A emissora britânica BBC constatou que Abedi nasceu na própria cidade de Manchester e tem origem líbia.

Conforme apurado por meios de comunicação do Reino Unido, os serviços de inteligência britânicos, como o Government Communications Headquarters (GCHQ), que coleta e analisa informações de inteligência, o Secret Intelligence Service (SIS/MI6), responsável por coletar e analisar informações vindas do exterior, e o Security Service (MI5), que atua em operações de contra terrorismo e contra espionagem, estão trabalhando para obter maiores informações sobre o atentado e estabelecer respostas adequadas e os próximos procedimentos a serem tomados.

 

GCHQ at Cheltenham, Gloucestershire

 

O Ministério das Relações Exteriores do Brasil emitiu nota à imprensa sobre o atentado: “o governo brasileiro recebeu, com consternação, a notícia do atentado terrorista que deixou dezenas de mortos e feridos em estádio na cidade britânica de Manchester. Ao expressar suas condolências às famílias das vítimas, seus votos de plena recuperação aos feridos e sua solidariedade com o povo e o governo do Reino Unido, o Brasil reitera sua condenação a todo tipo de terrorismo, independente de sua motivação”. O ministério ainda acrescentou à nota a informação de que não houve registro, até o momento, de vítimas brasileiras e se prontificou a prover assistência e esclarecimentos sobre o assunto.

 

A nota a imprensa do Itamaraty pode ser conferida aqui.

 

Autor: Wilson Fernandes Negrão Júnior

Leave a Reply